Idiossincrasia Literaria

São os meus sonhos, não são os teus!

young-woman-enjoying-sunset-in-boho-style-picjumbo-com

Quando namoramos com alguém, fazemos uma partilha completa e reciproca de tantos sentimentos, momentos, sonhos e metas. Partilhamos vários tipos de intimidades, de situações boas e más. Nunca pensamos como será a nossa vida se um dia tudo terminar. Não sentimos a necessidade de o fazer, porque estamos a dar aquela relação como uma relação estável e garantida… E se afinal, for só ilusão nossa?  

A separação é uma merda, grande parte das vezes nós pensamos que o mundo vai acabar, que já nada faz sentido. A sério, eu pensei que a separação fosse dar cabo de mim, que ia demorar meses a recompor, que ele era o amor da minha vida. Se tentei dar a volta à situação? Tentei durante uns dias resolver “aquilo”, porque pensei que valia a pena. Porque, lá está, conhecia aquela pessoa com a qual passei quatro anos da minha vida, pensei que até fosse a tal pessoa…

Até ao dia que comecei a reparar em pequenas coisas que me levaram a ponderar se efectivamente conhecia aquele ser. Comecei em pensar no que queria ter feito, no que gostava de fazer, no que pretendia fazer, no que não fiz e porque não o fiz. E foi aí que entendi o primeiro sinal de que aquela relação, não era uma relação verdadeira, com sentimento puro! E foi em coisas tão pequenas como as lutas pelos sonhos, metas, etc que entendi algo.

Uma das minhas metas (e sonho) é ser enfermeira e esse meu sonho já dura três anos. Quando tentava falar sobre o assunto, era quase sempre desviado. O que me leva a querer que se calhar era ele que não queria participar nessa meta.

Após a separação, pensei tanto nesta minha meta… que a adiei três anos e que por esta altura já poderia estar a entrar no último ano. A verdade é que com isto tudo aprendi que nós não temos, nem devemos de deixar os nossos sonhos de lado, porque aquela pessoa não concorda ou simplesmente não quer.

Existem vários fatores, vários gatilhos que podem disputar uma separação, eu sei. Mas uma coisa que temos que ter em mente, por mais que gostemos daquela pessoa, não podemos deixar de gostar de nós, nem de quem somos. Não devemos perder a nossa identidade, nem os nossos sonhos, nem as nossas metas. Porque no final de tudo, após a separação, quem é que eu sou?

5 Comments

  • Reply Maria Vieira 30 Julho, 2017 at 20:29

    Entendo perfeitamente o que passaste pois este ano também passei pelo mesmo, com algumas complicações que a vida teimou a apresentar naquela altura. Foi uma época muito difícil da minha vida, tão difícil que considero a pior dos meus 23 anos.
    Sempre pensei que fosse levar muito tempo a superar esta relação, dado ter sido o meu primeiro namoro a sério, mas para meu espanto foi mais fácil do que pensava, o que me fez pensar que se calhar não tinha assim tanto sentimento para o final. Após alguns meses encontrei outra pessoa e agora ando feliz como já não andava à mais de 1 ano.

  • Reply curlyhairandlipsticks 30 Julho, 2017 at 23:20

    Vou entrar este ano em enfermagem! Por favor, segue o teu sonho! Faz o que te faz feliz e nunca deixes ninguém te dizer o contrário…
    Beijinhos
    Joana
    https://curlyhairandlipsticks.wordpress.com/

  • Reply Cláudia - Mulher XL 31 Julho, 2017 at 8:44

    Temos de gostar de nós primeiro antes de tudo e todos!

  • Reply Pada 31 Julho, 2017 at 19:03

    O teu sonho, a tua meta é demasiado importante para a colocares de lado.
    Beijinho
    PadaandLuda & Facebook & Twitter & Instagram

  • Reply Kéké 2 Agosto, 2017 at 14:45

    Passei precisamente pelo mesmo que aqui contas, essas podiam ser as minhas palavras. E no final, sabes o que me moveu? O que me fez ultrapassar a separação e perceber que o amor não era aquilo? Que estava apenas acomodada e com medo de sofrer?

    O meu sonho! E estou tão perto dele agora.
    Beijinho
    http://www.keke.pt

  • Deixar uma resposta